Dicas para Viver em Braga e curtir o outono no Minho

Dicas para Viver em Braga e curtir o outono no Minho
Por Giselle Costa - Jornalista e Colunista

Costumo dizer que o outono é a melhor estação do ano. É quando as temperaturas amenas misturam-se a um belo céu de cor azulada intensa e muita beleza natural. Em Braga, Portugal, o outono tem suas cores próprias. Nesse período do ano, até dezembro, o calor intenso cede lugar a um friozinho perfeito para um bom vinho e para experimentar a tradicional gastronomia bracarense. 

Para Viver em Braga neste período do ano é preciso ter em conta o que chamamos de efeito cebola. Isto é: pela manhã está mais frio, colocamos mais roupa. No entanto, ao longo do dia aquece e vamos debulhando, ou seja, tirando os casacos. Também temos que estar sempre preparados para a chuva. Sim, no norte de Portugal chove muito.

Neste período, andar por Braga é deparar-se com as cores do outono. Mesmo o COVID-19 não espantou esta beleza. As temperaturas começam a baixar e as folhas das árvores iniciam um novo ciclo, espalhando-se pelo chão. Logo chega novembro, que traz consigo as chuvas e a mudança definitiva de estação. 

É nessa época que a cidade prepara-se para o inverno. Viver em Braga é sentir os cheiros das lareiras; é perceber que as noites ficam mais longas, com menos gente nas ruas. Mas é preciso atenção: Viver em Braga requer bons casacos, sapatos fechados, galochas e roupas impermeáveis. De resto, é algumas dicas para Viver em Braga o melhor outono de sua vida.

  

Piquenique nos parques de merenda

No início da estação, nada melhor do que aproveitar os parques de merendas com amigos e familiares. Claro que respeitando as normas de segurança ditadas pela Direção Nacional de Saúde por causa do COVID-19. O governo português não nos impediu o uso desses lugares, que geralmente estão localizados à beira de rios ou praias fluviais, nos jardins de igrejas ou nos montes. A paisagem é linda e o sossego convida a passar um dia em paz.

Perceba como os portugueses adoram um bom piquenique. Levam um verdadeiro farnel com tudo o que tem direito: panelas, geleiras, cadeiras, bancos, barracas e até fogões. Os lugares são próprios e têm toda infraestrutura. Neste momento, com o decreto de estado de calamidade, essas atividades ao ar livre ficam restritas a grupos pequenos de familiares e amigos (veja as regras).

 

Verão de São Martinho

Outra tradição de outono é o ‘Verão de São Martinho’, que comemora-se em 11 de novembro, dia de São Marinho. Essa celebração marca o outono, e a data é festejada com um magusto (tradição popular que consiste em assar castanhas e beber vinhos novos).

Reza a lenda que Martinho de Tours fora um militar, monge, bispo e santo católico, nascido a 316 e falecido a 397. Certo dia, estava a caminho da sua terra natal, quando avistou um mendigo, que lhe pediu esmola. O tempo estava muito frio. Conta-se que Martinho rasgara a sua capa em dois e dera metade ao mendigo. De repente, o frio parou e o tempo aqueceu. Por norma, na véspera e no dia de São Martinho, o tempo melhora e o sol aparece, sendo conhecido como o ‘Verão de São Martinho’.

Se estiver em Portugal por estes dias, pode esperar que a chuva dê trégua e o sol reine, como diz a tradição. Vá à rua para sentir o cheiro das castanhas e experimente vinho novo na malga. Mesmo com o COVID-19, as tradicionais senhoras que assam castanhas continuam a vender nas ruas. Vale muito a pena!

 

Parque Peneda-Gerês

As serras da Peneda e do Gerês localizam-se entre as regiões do Alto Minho e os Trás-os-Montes, ficando a 40 minutos de carro de Braga. Mesmo antes de chegar ao Parque Nacional Peneda-Gerês, pode-se apreciar a beleza natural do entorno. Tudo no Gerês é convidativo. O clima outonal cinzento contrasta com a policromia das folhas das árvores, formando um colorido melancólico e burlesco. No coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, a mata da Albergaria é constituída predominantemente por um carvalhal secular. É a mais importante mata autóctone de Portugal. 

Recomendo conhecer as muitas cascatas da região (todas bem sinalizadas) e as termas com águas quentes e esfumaçantes (é preciso consultar nos hotéis quais estão abertas por causa do COVID-19). Mesmo em tempo de pandemia, aproveite para ir ao miradouro da Pedra Bela e para caminhar pela Mata da Albergaria, onde poderá brincar com as muitas folhas espalhadas pelo chão. O Gerês é tão especial que, com um pouco de sorte, é possível avistar de corços, lobos ibéricos e até cavalos selvagens.

Dito isso, encerro essas dicas com um conselho: o outono é uma estação incrível para quem quer Viver em Braga. Sem dúvida, vale a pena experimentar esta estação do ano e tirar proveito daquilo que Braga tem de melhor: vinho, belezas naturais e gastronomia. Esperamos que sua nova experiência de vida seja ainda melhor com as nossas dicas. Então, bem-vindo a Braga!

Gostou? Escreva-nos: [email protected]

 

SOBRE GISELLE COSTA
Jornalista e Colunista

Giselle Costa é uma jornalista carioca, apaixonada pela literatura e pelos textos de Cora Coralina. Ama viajar e descobrir novas formas de vida. Aprecia a boa gastronomia, bons vinhos e azeites. Escolheu Braga, em Portugal, para viver uma vida simples e em paz. É doutoranda em Ciências da Comunicação na Universidade do Minho. Tem paixão pela escrita, pela sala de aula e pelos animais, mas também adora cantar e dançar. 

 

 

BRAGA - Portugal